20 de out de 2011

12 Dicas para se dar bem no ENEM


Você vira a noite estudando? Pare com isso e durma bem! Entre uma bocejada e outra você deixa de assimilar informações, afinal o cérebro já estará cansado depois de um dia puxado de estudos. Durante o sono, porém, a massa cinzenta “salva” o conhecimento novo.

Nada de começar a estudar na cama ou em seguida do almoço, pois sempre bate uma preguiça e a vontade de descansar um pouco mais. O indicado é ativar o corpo com um alongamento ou até mesmo uma rápida caminhada, isso irá ajudá-lo a criar disposição

Barulho, circulação de pessoas, televisão ligada e som alto. Pergunte-se: o que atrapalha minha concentração? Evite lugares que o ambiente externo possa chamar sua atenção ou causar estresse. Dê preferência para um lugar calmo, com boa ventilação e iluminação. Essa dica é valiosíssima para quem acha que ganha tempo ao estudar no ônibus. Engano! Seus olhos percorrem as linhas dos livros, mas pouco é fixado.

Que ler deitado é bom, tudo mundo concorda. É uma maneira confortável de ficar informado, mas também é o primeiro passo para cair na cama. Segundo o especialista, estudar deitado, ler sentado com postura inadequada ou ler muito e muito rápido sem pausas para descanso são fatais para deixar todo o conhecimento ir para limbo.

Organize o material perto de você para evitar interrupções. Se hoje é dia de estudar Química, não deixe a tabela periódica esquecida no armário, em algum momento você irá precisar saber de cor os elementos. A pausa para encontrar o objeto de estudo representa perda de ritmo, sem contar que nessa hora você ainda dá uma escapada, passa na sala e encontra a TV ligada. Aí, pronto, lá vem a pergunta: “O que eu estava estudando mesmo?”.

Os vestibulares, assim como o Enem, não esperam respostas idênticas ao que está na bibliografia recomendada. O domínio sobre os fundamentos, sim são cobrados. Logo, grife os tópicos mais importantes para facilitar a criação de resumos. Esse esquema facilita a compreensão da ideia central da matéria.

Teste seu lado questionador para descobrir a essência do texto. Qual é o assunto? Qual sua importância ou aplicação? Como funciona? Quem disse? Quando e onde aconteceu? De que forma a informação se relaciona com as demais? Quais as semelhanças e diferenças? Que conclusões tirar? O que é importante e o que é secundário?

Imagine que você é o professor e precisa ensinar um assunto para seus alunos. Em voz alta, explique o que entende e lembra-se de um tema, na sequência confirme nos livros se não falou bobagem. Faça isto várias vezes se o assunto for difícil. Faça perguntas e tente respondê-las a fim de verificar se você aprendeu.

Recapitule o que foi visto em sala de aula no máximo 24 horas depois. Sem revisão não há memorização duradoura.

Sinta-se a vontade para fazer pausas (breves, cerca de 10 minutos) de hora em hora. Evite a falta de concentração pelo excesso de estudo e, consequentemente, o cansaço mental. Ao final do dia, descanse, escute música, namore e converse com amigos.

Tem sempre um conteúdo mais legal que o outro. Para não perder o pique quando chegar o momento de estudar números ou datas, o indicado é variar a matéria. Isso o ajudará a manter a concentração.

Relacione assuntos, veja implicações, encontre sentido, detecte lógica e compare. Deixe seu estudo ativo, interaja com o conhecimento. Quanto mais situações você criar para lembrar-se do conhecimento, mais rápido ficará seu raciocínio

Nenhum comentário: