18 de set de 2011

As 10 Mulheres mais violentas da história


As mulheres podem ser violentas? Anos atrás, fomos testemunhas da batalha de sexos, as mulheres lutaram pela igualdade. Alguém fez isso por meio de protestos por um voto na terceira década do século passado, alguém o fez por meio das várias organizações, sobre as mulheres abaixo vamos apenas dizer que essas mulheres fizeram por seus proprios motivos. Não apoiá-las.
Mulheres Violentas (1)

Aileen Wuornos (1956.-2002.) Foi considerada uma serial killer. Ela era uma prostituta e foi condenado à morte por injeção letal. Ela foi acusada de matar sete homens, que, afirmou, estuprá-la enquanto ela estava trabalhando como prostituta.
Mulheres Violentas (2)
Audrey Marie Hilley (1933.-1987.) Foi uma assassina americano. Ela assassinou o marido em 1975. e tentou matar sua filha de três anos. Ela também era suspeito de envenenamento de sua mãe.
Mulheres Violentas (3)
Beverly Allitt (nascida em 1968.) É uma das mais conhecidas serial killers. Trabalhou como enfermeira pediátrica, ela é responsável pelo assassinato de quatro crianças e ferimentos graves de 5 outras pessoas em seu trabalho. Allitt atacou 13 crianças durante um período de 58 dias antes de ser pega em flagrante .
Mulheres Violentas (4)
Karla Leanne Homolka (Ontario, 4 de maio de 1970) é uma serial killer canadense, que atraiu a atenção da mídia mundial quando ela e seu ex-marido Paul Bernardo foram julgados pelo estupro e assassinato das adolescentes Leslie Mahaffy e Kristen French.
Afora os crimes pela qual fora julgada, Homolka ainda ajudou seu ex-marido à violentar sua irmã mais nova de 15 anos, Tammy Homolka, que por estar sedada na ocasião, morreu engasgada com o próprio vômito. Entretanto o casal não foi julgado por este crime.
Mulheres Violentas (5)
Lizzie Andrew Borden (19 de Julho de 1860 - 1° de Junho de 1927) foi uma estadunidense da Nova Inglaterra e uma figura central no caso que rodeia o duplo homicídio a machadadas brutais de seu pai e de sua madrasta num dia de calor sufocante, em 4 de Agosto de 1892, em Fall River, Massachussets. Borden foi absolvida quando levada a julgamento, mas ninguém mais foi condenado, e ela tornou-se uma figura no folclore americano. As matanças, o julgamento e o impacto da cobertura dos jornais sobre Lizzie Borden se tornaram uma causa célebre; e o evento tem permanecido firme na cultura pop americana e na criminologia como um dos mais famosos incidentes da Era Victoriana. Disputas sobre a identidade do assassino continuam até hoje.
Mulheres Violentas (6)
Marie Noe é uma mulher americana que foi condenada em Junho de 1999. de assassinar oito dos seus filhos. Entre 1949. e 1968., oito dos dez filhos de Noe morreu de causas misteriosas realionadas a bruxaria. Todos os oito filhos eram saudáveis ​​ao nascer e estavam se desenvolvendo normalmente. Outros dois morreram de causas naturais.
Mulheres Violentas (7)
Mary Ann Cotton (Mary Ann Robson, outubro de 1832, Low Moorsley, Condado de Durham – 24 de março de 1873) foi uma inglesa condenada por assassinar seus filhos e acredita-se ter assassinado até 21 pessoas, principalmente por envenenamento.
Mulheres Violentas (8)
Myra Hindley e Ian Brady foram responsáveis ​​pela "assassinatos moors" que ocorrem na área de Manchester da Inglaterra em meados dos anos 1960. Eles foram responsáveis ​​pelo seqüestro, abuso sexual, tortura e assassinato de três crianças menores de 12 anos e dois adolescentes com idades entre 16 e 17.
Mulheres Violentas (9)
Rosemary West é um assassina em série britânica condenada por 10 assassinatos em 1995. Seu marido Fred, que cometeu suicídio na prisão enquanto aguardava julgamento, acredita-se que colaborou com ela na tortura e assassinato de pelo menos 10 mulheres jovens, em sua casa em Gloucester, Inglaterra.
Mulheres Violentas (10)
Vera Renczi (1903-1960?) Era uma serial killer que envenenou 35 pessoas, incluindo seus maridos, amantes e um filho com arsênico durante os anos 1920 e 1930.

Nenhum comentário: